segunda-feira, 2 de janeiro de 2012


“No dia trinta e um de dezembro eu olhei para o céu, tentei imaginar aonde estava você, como estava você. Tentei visualizar o seu rosto, o seu sorriso, os seus abraços de felicitações de ano novo. Tentei sentir a sua bebida gelada e o seu corpo quente. Depois da meia-noite eu olhei para o céu e uma estrela me chamou a ...atenção. Era grande, forte, tinha uma luz diferente das outras. Era uma estrela especial. Brilhava. Se destacava. Olhei para ela, fechei os olhos, fiz um pedido. Eu pedi para você ser feliz. Pedi para você ter um ano bom, para você ter paz, aquela paz com sabor de qualquer fruta boa e doce. Pedi para você atingir as suas metas. Pedi para você sentir o meu abraço. Pedi para você sentir o meu beijo. O terceiro nó é seu, mas não pedi você para mim. Pedi para a vida andar no seu rumo, de acordo com as suas leis. Pedi para ser feito o melhor para nós dois, mesmo que isso me mantenha longe de você.” 

Clarissa Corrêa

Nenhum comentário:

Postar um comentário